quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Firme na Rocha.

Outro fato marcante em minha jornada aconteceu pouco tempo depois de eu ter me convertido. Minha demissão.
Trabalhei durante 4 (quatro) anos numa grande rede de lojas de móveis e eletrodomésticos e na terça-feira 20/02/2007, ao final do expediente, a notícia: “a partir de hoje você não faz mais parte do quadro de funcionários...” Não que eu não estivesse esperando por isso, já que durante um tempo algumas mudanças passaram a ocorrer, vou procurar organizá-las e detalhá-las agora.
Pode-se pensar, mas o que isto tem haver com o blog, ou pra que isto servirá?

Vamos lá

Eu havia saído de férias no inicio de 2006, as por outras razões fui informado que em setembro do mesmo ano sairia novamente de para eliminar o período que existia vencido.
Neste espaço de tempo, fomos até a chácara de minha sogra e num abençoado culto de Missões no domingo 17/09/2006 à noite, aceitei Jesus.
Dificilmente conseguirei explicar em poucas linhas como passei a me sentir depois deste dia, mas posso dizer que nada se compara a liberdade, a segurança que passei a ter a partir deste dia.
Realmente, nasci novamente.
Assim como um bebê recém-nascido, passei a sentir muitas dificuldades e várias dúvidas durante os primeiros anos de vida cristã.
Pouco tempo se passou e ai entra a história da minha demissão. Um duríssimo golpe para um recém-nascido como eu. Não que estávamos correndo atrás de bênçãos ao aceitarmos Jesus, mas se antes tínhamos uma vida desregrada e fora dos padrões divinos, agora como evangélicos, e procurando sermos fiéis em tudo, poderíamos começar a resmungar e “cobrar” de Deus porque estávamos passando por isto.
Como citei antes eu já esperava por isto. O que eu e nem ninguém esperava foi o longo período que passei em casa sem encontrar emprego.
Foram 11 (onze) longos meses.
Neste período qualquer pai de família entraria em colapso. Mas nos mantivemos firmes.

Aqui cabe um agradecimento mais do que especial:

dizem que quando o dinheiro sai por uma porta, o amor sai pela janela. Não no meu caso. Minha amada esposa sempre me incentivou a sair procurar, me entendeu, apoiou e orou comigo.
Nunca, deixe-me repetir, nunca em nenhum momento destes 11 meses discutimos por eu estar em casa sem trabalhar. Muito obrigado minha amada. Te amo.

Como Deus é bom.

Palmeiras

Aproveitamos este período para aprender a orar, jejuar, ler a Bíblia, inclusive compramos a minha primeira e, até agora única, Bíblia. Ali o vaso foi amassado, moldado conforme o querer de Deus.
Choramos bastante. Não tínhamos de quem esperar, aguardávamos somente em Deus.
Vivemos praticamente um ano na dependência exclusiva de Deus.
Meu pensamento era simples, encontraria emprego assim que distribuísse um ou dois currículos. Mas não foi assim.
Muitos disseram que eu estava “escolhendo” emprego diziam também, “como ele com o estudo que tem está parado”, mas o propósito de Deus em nossas vidas se cumpriu desta forma.
Eu saia três ou quatros vezes na semana, entrando em qualquer estabelecimento que encontrava aberto. Ia a todas as agências de RH, atualizei por várias vezes meu currículo. Nada.
Gastei um par de sapatos e todos os vales transporte que me haviam sobrado, queria ser frentista, mas não se abriu nenhuma porta.
Neste período, não recebi nenhuma visita, mas não murmurávamos.
Por outro lado, nunca nos faltou nada em casa, de alimento à escola de minha filha, tudo igual.
Também neste período, estreitamos nossa amizade com uma de minhas cunhadas, todos os dias, no fim da tarde, nos reuníamos para tomar chimarrão e conversar, sempre nos incentivando mutuamente, afinal ela também procurava emprego. Como já disse, eu ganhei 4 irmãs ao casar com minha esposa. Sou sincero, sinto falta destes momentos em que conversávamos no fim da tarde.
Também recebemos o apoio dos pais de meu cunhado, que sempre estiveram prontos para nos ajudar no que fosse preciso, e tenho certeza também estavam orando por nós.
Minha sogra também clamou muito a Deus por nós. Mas ELE só abriu as portas quando chegou a hora certa, em outra postagem vou detalhar este fato.
Salmo 92.12 que o justo florescerá como a palmeira que primeiramente, fixa uma grande raiz o que a torna muito firme, o que aliado a sua grande flexibilidade, suporta grandes vendavais sem que se mova do lugar. E dá muitos frutos por muitos anos.
Assim aconteceu conosco.
Deus permitiu um forte vento logo no inicio de nossa jornada na vida cristã. Mas isto, hoje entendo, serviu unicamente para fixarmos nossas raízes mais e mais, até alcançar a Rocha Eterna, Jesus Cristo.
Esta batalha foi vencida. Saímos dela fortalecidos no amor, nos laços de amizade e em espiritualidade.
Outras virão, disto não restam dúvidas, porém com a confiança adquirida nas vitórias anteriores, temos melhores armas para lutar.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...