terça-feira, 19 de março de 2013

O Maravilhoso Plano de Deus!

Texto Rute 1.16-17: "Rute, porém, respondeu: “Não insistas comigo que te deixe e que  não mais te acompanhe. Aonde fores irei, onde ficares ficarei! O teu povo será o meu povo e o teu Deus será o meu Deus! Onde morreres morrerei, e ali serei sepultada. Que o SENHOR me castigue com todo o rigor, se outra coisa que não a morte me separar de ti!”.
No livro de Rute encontramos algumas situações que enfrentamos diariamente e diante delas, nem sempre conseguimos agir de forma coerente com a Palavra de Deus.
São muitos relatos que me levam a pensar assim, vou destacar os que me saltam aos olhos:


Deus nos deixa ao menos duas opções, dois caminhos a seguir, ao escolhermos um enfrentaremos as consequências desta decisão.Parece óbvio, mas a questão aqui é: como saber qual decisão tomar? Muitas vezes em meio à tempestade, nossa capacidade de decidir fica abalada e não enxergamos claramente a melhor saída.

Minhas escolhas afetam a vida de muitas pessoas ao meu redor. Rute resolveu voltar com sua sogra para Belém, se assim não fizesse, em sua descendência não estaria Davi ou Jesus, e muito provavelmente ninguém faria menção de sua vida.

A forma como Boaz tratou-a assim que a viu espigando em seu campo fala fortemente comigo e me ensina sobre como (re) agir diante de fatos. Ele se inteirou completamente sobre o que havia acontecido àquela mulher e sua família, em como ela chegou até ali naquela situação e imediatamente após ouvir os relatos de tudo, resolveu que deveria estender sua mão a ela, sem outro interesse senão o de ajudá-la em tudo o que estivesse ao eu alcance.

Assim é o cristianismo, totalmente voltado para a ação, para a vivência, para a prática. O que despertou a atenção de Boaz? O relato de tudo que sobreveio à família de Rute e o que esta fez para sua sogra.
Tudo o que fazemos ecoa, são estas nossas ações as determinantes de nossas bênçãos.

Aprendo como já disse, com Boaz.

Pessoas, da família muitas vezes, estão enfrentando problemas, dificuldades e provações como fruto de más escolhas anteriores. Por diversas vezes deixamos de fazer o nosso melhor e passamos a fazer o que julgamos necessário, sendo que teríamos capacidade para fazer muito mais.

Boaz poderia sim ter permitido que Rute espigasse em seu campo como os demais estrangeiros. A lei lhe pedia somente isto.

Mas Boaz foi além.

Percebeu a situação delicada em que Rute e sua Sogra se envolveram, deu-lhe a oportunidade de colher junto com as suas empregadas, deu ordem para que nenhum homem lhe tocasse, ordenou ainda que Rute passasse a comer juntamente com seus servos e que de todo molho colhido se jogasse um punhado no chão para que ela colhesse sem ser impedida. Boaz agiu com um coração bondoso para com uma estrangeira.
Boaz fez mais do que somente sua obrigação. Fez o que um servo verdadeiro de Cristo faria.

Por inúmeras vezes pensamos e agimos legalmente, ou seja, fazemos aquilo que é nossa obrigação, nosso dever. Boaz não. Jesus não. Ambos agiram, fizeram e pensaram no próximo fazendo todo o possível, realmente se colocando no lugar do outro e fazendo aquilo que gostariam que fosse feito para eles mesmos.

Falo isso como alguém que está aprendendo a agir assim, agora, não por ser uma pessoa perfeita, antes pelo contrário, admitindo minhas falhas e fraquezas. Comparando minha vida, minhas atitudes meus pensamentos com o que a Palavra de Deus afirma ser o comportamento correto de um verdadeiro Cristão.

Confronto-me com a Palavra e verifico que tenho muito que aprender. Nossos erros do passado podem sim, nos acompanhar por muitos anos de nossas vidas, mas nem sempre será este o ponto final de nossa história.

Quando Rute tomou a sábia decisão de seguir sua sogra Noemi e muito mais do que isto, servir a Deus, elas passaram a experimentar o milagre e a reconstrução de suas vidas.

Deus é tremendo.

A mulher estrangeira que antes sequer poderia frequentar o templo devido sua origem moabita, passa agora a ser antepassada de Jesus.

Nosso Deus tem a salvação estendida a todos, sem distinção.

Muito se fala sobre religião, mas não conheço um Deus tão pessoal, que se importa com cada um em particular.

Um Deus que adquiriu, com o sangue de seu próprio filho, a cada um de nós, e nos trata como únicos, como presentes preciosos. Cada um de nós é uma joia de valor inestimável para nosso Deus.

Somos tão particularmente raros e especiais para ELE que não existem dois indivíduos com DNA idênticos. Somos ímpares e com valor incalculável.

Muitas alusões ao Reino de Deus, Jesus e o modo de agir e pensar de um servo estão descritas explicitamente neste livro histórico que traz um breve relato da vida de Rute.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...