quarta-feira, 20 de março de 2013

Perdão

Pude experimentar uma sensação única e, (posso afirmar com toda a certeza) maravilhosa, dias atrás: o perdão.

Não que eu tenha sido perdoado por alguém, nada disso, na verdade creio que foi muito melhor. Fui procurado por uma pessoa para perdoá-lo.

Você pode dizer isto não é nada especial, mas o que falar no caso de ter de perdoar alguém que não te fez nada de errado?

Pois é, foi isto o que aconteceu. E quer saber a verdade, foi ótimo que tenha acontecido assim.

Por algum motivo a pessoa que nos procurou pensou ser necessário ter de ser perdoada por mim, porém em nenhum momento ela fez algo que tenha me prejudicado ou ferido. Não diretamente a mim, ao menos.

Mas a sensação que experimentei ao perdoar, mesmo depois de afirmar que o meu perdão não seria necessário, é única.

Nós nestes nossos dias tão agitados em que estamos vivendo, passamos a dar menos valor para algumas coisas, uma destas coisas são os relacionamentos familiares. Rotineiras, reuniões de família como ocorriam na época de nossos avós e pais não tem o mesmo sentido hoje, e, com isto, também muitas virtudes ficam para trás, uma delas é saber o momento de tentar uma reconciliação através de um simples pedido de perdão, sincero e de coração.

Louvo a Deus por pertencer a uma família especial, que apesar de não ser perfeita (qual família é?) ainda procura manter-se unida e com uma boa comunhão entre os seus membros.

Fiquei imaginando o contrário, se na mesma situação que estávamos vivendo no momento, a pessoa não tivesse tido a coragem suficiente para pedir perdão e pensasse assim: “deixa assim, eu não errei com eles”, tudo seria diferente agora.

Provavelmente nós não teríamos mais vontade de estar por perto, poucas, quiçá nenhuma oportunidade de nos reunirmos para conversar, e em nossos corações passaria a crescer viçosa uma raiz de amargura tão profunda quanto a pior erva daninha existente. E quão rapidamente a tal “erva” sufocaria nosso amor, e em seu lugar brotaria o ódio, a ira, o rancor e tantas outras coisas que não servem para mais nada, a não ser para nos afastar da comunhão com nossos familiares, amigos, irmãos e por consequência de nosso Deus.
Comecei a pensar, com base nessa experiência, se nós que somos assim tão falhos e passamos a desfrutar de uma tão doce e maravilhosa sensação, como Deus reage ao ver mais um pecador se rendendo aos seus pés. Como fica o coração de Deus ao ver que o sacrifício de seu Filho não foi em vão.

De tudo o que Jesus pregou enquanto esteve na Terra, o perdão é sem dúvida o mais difícil de ser aceito e praticado. Tanto isto é verdade que simplesmente ao mencionar ao paralítico que foi baixado em uma maca diante de si: “Perdoados são os teus pecados” a multidão de escribas e fariseus (re) começaram a planejar a morte de Jesus por estar praticando blasfêmia. Isto falando de Jesus.

E a dor que parece ter aparecido no momento em que Jesus diz à multidão “quem não tiver pecados, atire a primeira pedra”? Logo a mulher ficou livre e Jesus lhe disse que se ninguém poderia condená-la nem Ele o faria.

O perdão é um dos pilares do cristianismo. Não vou dizer que é fácil, ou simples tanto perdoar como ir pedir perdão quando erramos.

Mas Jesus pediu mais do que isto.

Ele nos ensinou a pedir perdão pelos erros que não cometemos. Simples? Não. Impossível? Também não. Mas ao experimentar isso com toda a certeza, nossa vida não será mais a mesma.

Tenho convicção do que falo, pois já fui caluniado e ofendido, pelas costas, e tomei a coragem para dar um passo em direção à pessoa que fez isso e lhe pedir perdão. Prometo relatar a experiência, a luz da Palavra, em outra oportunidade.

Encerro dizendo que como um saco de batatas atado em nossas costas assim é o carregar mágoas e não liberar o perdão. Nos primeiros dias vai, mas depois que a primeira batata começa a apodrecer, ninguém aguenta. Não é preciso considerar o que ocorre quando tudo se tornar pútrido...

Antes que isso aconteça Cristo nos recomenda a perdoar as pessoas. Quantas vezes? Muitas, até 70 x 7 se for preciso.

Só assim, posso enfim dizer: sou livre.
Deus os abençoe.

2 comentários:

Cicero Barros disse...

Perdoar é o maior ato de nobreza que os seres humanos deveriam exercer por mais difícil que seja. Não importa as circunstancias, mas quem quer ser perdoado é por quer algo o está incomodando e só vai acontecer paz interior no momento que escutamos esta palavra redentora perdoo-te. Óbvio quem de fato perdoa é Jesus, mas nós reles pecadores devemos dar o primeiro passo para depois Jesus completar o restante da nossa iniciativa. Abraços e goze deste momento de felicidade meu amigo.

Mateus Emilio Mazzochi disse...

Meu nobre amigo, é verdade quando precisamos nos livrar de um peso que nos oprime e afeta nossa vida pedir perdão se torna um alívio. Jesus está sempre próximo e pronto a nos perdoar e nos ensina que façamos o mesmo para com nossos irmãos. Obrigado e Deus te abençoe.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...