terça-feira, 16 de julho de 2013

Solução de Problemas

Lendo esta frase de Hugo Schlesinger, “As soluções dos problemas, muitas vezes, encontram-se dentro de nós”, comecei a pensar sobre como poderemos então “colocar” ou “inserir” em nós as soluções para a tão grande diversidade de problemas que enfrentamos diariamente.
E escolhi este tema, para marcar a postagem de número 100 deste simples blog.
Foi então que me lembrei de duas passagens importantíssimas para este processo de “encher” a mente e o coração com “soluções para problemas”.

A primeira: “Por último, meus irmãos, encham a mente de vocês com tudo o que é bom e merece elogios, isto é, tudo o que é verdadeiro, digno, correto, puro, agradável e decente. Ponham em prática o que vocês receberam e aprenderam de mim, tanto com as minhas palavras como com as minhas ações. E o Deus que nos dá a paz estará com vocês”. Filipenses.4.8-9.
comoresolverumproblema
Da mesma forma que não encontraremos um arquivo que não estiver salvo num computador, não encontraremos respostas para nossas dúvidas e problemas em nossa mente e coração, se não a guardarmos anteriormente.
Sendo assim, uma forma de termos dentro de nós as soluções, é encher nossa mente com o que bom, digno, verdadeiro, correto, puro, agradável... Ao passo que o contrário é verdadeiro, deixando essas coisas de lado, começaremos então a causar problemas.
Em algumas oportunidades passamos a conviver com os problemas e não mais nos incomodamos com eles. Nossos sentidos se acostumam, muito rápido diga-se, com situações que a princípio são até prazerosas, mas ao serem alimentadas desordenadamente, causam transtornos irreversíveis em muitos casos.
Ouvi algo, há um tempo, e vou procurar transmitir como lembro, sei que existem diversas versões para esta história, esta lenda:
Um líder samurai estava para se aposentar e para substituí-lo resolveu fazer uma seleção então convocou os dez melhores samurais do Japão. Colocou-os todos sentados ao redor de uma mesa e disse: ‘vou apresentar para vocês um problema, e quem o resolver, será o novo líder dos samurais’. O velho líder colocou sobre a mesa um caríssimo vaso de porcelana e nele um lindo buquê das mais lindas rosas vermelhas. Por um tempo todos os samurais observavam aquele vaso e a beleza das rosas. Não demorou muito e um deles se levantou e com sua espada destruiu o vaso e picou as flores, sob o olhar atônito dos demais, dizendo: ‘não há mais problema”. E o velho então disse: ‘eis aí o meu substituto! “Eu havia dito a todos vocês que lhes apresentaria um problema e problemas devem ser resolvidos, não importando quão belo e agradável ele pareça’”.
Algumas conclusões que tiro desta história:
a-Nosso inimigo se apresenta de formas agradáveis, aprazíveis, nunca aparece com uma capa preta, um tridente na mão e chifres na cabeça. Nem sempre conseguimos logo de inicio discernir se uma situação assim tão confortável é um problema.
Para conseguirmos este discernimento temos que conhecer nosso Pastor Jesus para não seguirmos a voz de alguém que queira nos desviar do redil, e ovelha desgarrada é alvo fácil.
b-Temos de ter atitude para mudar e não sermos pegos de surpresa. Situações complicadas sempre aparecerão. Nestes momentos, cabe a nós estarmos preparados para enfrentá-los de forma eficiente, sempre tendo em mente a vontade de Deus para nossas vidas, comunhão com ELE além de sensibilidade para ouvir sua voz. “Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado.” 1 João 1.7.
c-A parte mais difícil é esta: afastar-se de TUDO o que, mesmo sendo inofensivo em princípio, pode conduzir-nos cegamente a um abismo de onde o retorno pode ser demasiadamente árduo. Torna-se a parte mais complexa, pois quando estamos enredados em algo que julgamos inocente, continuamos nossas práticas e agimos como a mosca quando cai na teia da aranha que se enrola cada vez mais, até estar completamente paralisada e sem força. Neste processo de deixar TUDO, muitas coisas devem ser analisadas com sinceridade à luz da Palavra. E com toda a certeza, muitas surpresas acontecerão.
Uma lição da Escola Bíblica Dominical que ministramos aos adolescentes certa vez, trazia um desafio a ser proposto aos alunos, qual seja: passar uma semana sem acessar a internet, desligar-se das redes sociais, e neste meio tempo, orar pedindo a Deus o discernimento sobre o que era bom dentre o que se estava acessando. Ao cabo desta semana, acessar novamente e analisar as mudanças ocorridas e fazer um relato para a turma. Não me lembro de nenhum relato dos adolescentes em especial, mas lembro da nossa experiência, pois sim, eu e minha esposa, sendo os professores, fomos os primeiros a cumprir o desafio.
O resultado? Até hoje, não consigo acessar a internet como antes. Filtrei muitos sites, hoje consigo acessar uns poucos, talvez uma dúzia, se tanto. Fiquei simplesmente impressionado com a mudança. Eu julgava tudo muito comum, inofensivo, inocente, sem pecado. Mas ao tornar a acessar estes sites, percebi algo muito subliminar, escondido em cada canto, algo que chama a atenção, e que de puro, inofensivo e inocente, nada têm.
Sou contra a internet? Não. Mas posso afirmar que é muito tênue a linha que separa o que realmente agrega valor, daquilo que é totalmente imprestável.
O mesmo vale para a televisão. Ah mas e os programas cristãos e os educativos?
Minha pergunta é: quem consegue assistir somente a estes programas? E os comerciais? E a vontade dos produtores por detrás das câmeras, e a linha de pensamento da emissora? Como fica? Pense: em grande parte dos casos, ao sentar em frente à TV, passamos a agir conforme a vontade de quem programa a transmissão. Isso é bom? Na maioria das vezes não, pois o objetivo principal, destes programadores, nem sempre ou quase nunca é bom, nem merece elogios, tão pouco é verdadeiro, digno, correto, puro, agradável e decente.
A segunda: Para encerrar quero destacar a segunda frase que me faz pensar em como termos dentro de nós a solução para resolver problemas: “A pessoa boa tira o bem do depósito de coisas boas que tem no seu coração. E a pessoa má tira o mal do seu depósito de coisas más. Pois a boca fala do que o coração está cheio”. Lucas 6.45
Mais um ensino de Jesus Cristo, que deveria nortear todas nossas ações: onde
solucaoparatodososproblemas
devo colocar meu coração? Que “coisas” quero dentro dele?
Pois as conhecemos o que as pessoas têm no coração, através daquilo que de lá tiram. Estando cheias de ira, maldade, ódio, inveja, é disso que falarão, é conforme estas coisas, que agirão. Todos os seus passos serão governados por um coração repleto de sujeiras.
Ao contrário, se enchem o coração do que é agradável, puro, honesto e verdadeiro, com certeza teremos prazer em partilhar bons momentos na companhia delas.
Problemas e dificuldades nos sobrevirão.
Como os enfrentaremos e os solucionaremos? Mediante as soluções que encontrarmos guardadas dentro de nós.
E a escolha é livre.
Deus abençoe.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...