terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Jó - perfil

Crianças nunca se cansam de indagar “por quê?” Contudo, a pergunta ainda conserva o seu gostinho enquanto envelhecemos. As crianças surpreendem-se com tudo. Os adultos surpreendem-se com o sofrimento. Notamos que o mundo parece ser regido por um sistema de causa e efeito; contudo, existem alguns efeitos para os quais não conseguimos encontrar causas claras e algumas causas que não levam a quaisquer efeitos esperados. Esperava-se que a riqueza e a família de Jó propiciassem-lhe uma vida feliz, e durante algum tempo, isto ocorreu. Porém a perda e a dor que ele experimentou chocam-nos a todos. Os primeiros dois capítulos desta história são muito mais do que podemos suportar. Para os que são rápidos em indagar “por quê?” diante dos menores contratempos, a fé que Jó possuía parece inacreditável. Mas até mesmo Jó tinha algo a aprender. E podemos aprender com ele.
A nossa era das coisas “instantâneas” tem-nos tirado a habilidade de esperar. Esperamos aprender sobre a paciência instantaneamente, e em nossa pressa, não notamos a contradição. Dentre todas as coisas que desejamos conhecer, o alívio para a dor encabeça a lista. Desejamos a cura instantânea para todas as coisas, desde a dor de dente até às mágoas.
Embora algumas dores venham sendo curadas, ainda vivemos em um mundo onde muitas pessoas sofrem. Jó não esperava respostas instantâneas para a sua intensa dor física e emocional. Ao final, porém, não foi o sofrimento que o fez perder a paciência, mas o fato de não saber o motivo pelo qual estava sofrendo.
Quando Jó expressou a sua frustração, seus amigos tinham as respostas prontas. Acreditavam eles que a lei da causa e efeito aplicava-se às experiências de todas as pessoas. Sua visão sobre a vida limitava-se a isto. Coisas boas acontecem às boas pessoas, e coisas ruins, às pessoas más. Por este motivo, eles acharam que a sua obrigação era ajudar Jó a admitir o pecado, qualquer que fosse, responsável por seu sofrimento.
Na verdade, Jó enxergava a vida quase da mesma forma que os seus amigos. O que ele não podia compreender era o motivo de tanto sofrimento, quando estava certo de que nada fizera de errado para merecer a punição. O último amigo, Eliú, ofereceu outra explicação para a dor, ao sugerir que Deus poderia estar permitindo aquelas coisas a fim de purificar Jó. Não obstante, isto só ajudou em parte. Quando Deus finalmente falou, não deu a Jó uma resposta. Ao contrário, mostrou que é melhor conhecer a Deus que conhecer as respostas.
Geralmente sofremos as consequências de nossas decisões e atitudes errôneas. A disposição de Jó em arrepender-se e confessar os erros é um bom exemplo para nós. Às vezes, o sofrimento nos molda para que possamos ajudar outras pessoas. Outras vezes, o sofrimento é um ataque de Satanás a nossa vida, E não raro, desconhecemos o motivo para o nosso sofrimento. Será que em momentos como esses estamos dispostos a confiar em Deus, a despeito das perguntas sem respostas?
Pontos fortes e êxitos:
Era um homem de fé, paciência e perseverança.
Era conhecido como alguém generoso e afetivo.
Era muito rico.
Fraquezas e erros:
Permitiu que o desejo de compreender o motivo do sofrimento o oprimisse e o levasse a questionar Deus
Lições de vida:
Conhecer a Deus é melhor que conhecer as respostas.
Deus não é arbitrário ou descuidado.
A dor nem sempre é fruto de punição.
Informações essenciais:
Onde: UZ
Ocupação: Rico fazendeiro.
Familiares: Esposa e dez filhos (nomes não mencionados). As filhas da segunda série de filhos – Jemina, Quesia e Quérem-Hapuque.
Contemporâneos; Elifaz, Bildade, Zofar e Eliú.
Versículos-chave:
“Meus irmãos, tomai por exemplo de aflição e paciência os profetas que falaram em nome do Senhor. Eis que temos por bem-aventurados os que sofreram. Ouvistes qual foi a paciência de Jó e vistes o fim que o Senhor lhe deu; porque o Senhor é muito misericordioso e piedoso”(Tiago 5.10, 11).
A história de Jó pode ser encontrada no livro de Jó. Ele também é mencionado em Ezequiel 14.14,20 e Tiago 5.11.
 Bíblia Aplicação Pessoal, página 705.
Deus abençoe. 

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...