terça-feira, 25 de novembro de 2014

Célio Pulita O Artesão do Coração!

Abaixo, chamada para um programa de uma rádio local de Romelândia, SC. Já volto:
17/04/2014: “Lutar Pela vida até o limite das minhas forças” lema de vida do associado Célio Pulita de Romelândia                
Nesta semana Santa, é importante pararmos, refletir sobre nossa vida. E apesar de termos problemas, vale apena lutar, pois pelo simples fato de existirmos, já somos vencedores.
E o que dirá o senhor Célio Pulita da linha Sargento, município de Romelândia, no Extremo Oeste de Santa Catarina, agricultor, que ha cerca de 7 anos foi diagnosticado com o Mal de Parkinson.
Mas o senhor Pulita aprendeu a fazer do limão uma limonada. Hoje ele vê a vida com outros olhos, já que teve depressão ao saber da doença.
No artesanato ele descobriu o novo sabor da vida!
“Acredito na oração acompanhada da Ação! Oração sem ação, não leva a nada e Ação sem oração também não leva a nada”, conclui Célio Pulita, na entrevista conduzida pela Jornalista Sidivânia Peroza.
Clique aqui e ouça a entrevista.
Tive o prazer e o enorme privilégio de conhecer o senhor Célio, um artesão que transforma não só madeiras, mas corações.
Quando estive, junto com o projeto Rondon, na cidade de Romelândia, de tudo o que vimos, fizemos e vivemos, o que mais nos marcou, sem sombra de dúvidas, foi o exemplo de vida do Célio.
Com um mal de Parkinson que lhe deixa com movimentos involuntários durante todo o dia, fazendo com que ele fique tão dolorido a ponto de não conseguir dormir, devido à estafa muscular, Célio consegue realizar obras magnificas com as mãos.
Seu lema é “Vou lutar pela vida até o limite das minhas forças”.
Um homem que tinha todos os motivos para se abater diante das dificuldades que a vida lhe impôs, me deu uma lição de vida, disse ele: “não vivam por dinheiro, dinheiro é algo tão pequeno, vivam pelo prazer de estar vivo e para fazer o bem, sem olhar a quem”.
Disse mais o Célio, uma pessoa que acorda sem conseguir controlar seus movimentos, e que poderia se encostar-se a benefícios do governo para não trabalhar: “eu preciso trabalhar, trabalhar me acalma e me dá senso de utilidade”.
Pois é.
Célio foi um prazer te conhecer.
Espero te encontrar numa próxima oportunidade.
Um grande abraço.
Fiquem com uma amostra do trabalho deste artista da alma.
Deus abençoe.
celio-pulita

Mais links sobre o Célio:
Facebook
Entrevista para a Revista Família Cristã 

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...